segunda-feira, 8 de março de 2010

Ah, quem dera pudera eu, só mais um entre os que ousam, arrancar a nuas garras toda melancolia que faz do teu olhar abismo. Teus olhos quando tristes maltratam-me a alma, encharcam os meus.